Atlas online completa mapeamento de corais rasos da faixa tropical

Imagem: Luque Sock – Freepik

O Allen Coral Atlas, iniciativa de cientistas, tecnólogos e gerenciadores de dados das universidades do Estado do Arizona (EUA) e de Queensland (Austrália) com apoios de membros da National Geographic Society e das empresas Planet, de sensoriamento remoto, e Vulcan, de drones, acaba de estabelecer um marco importante, ao concluir o mapeamento global dos habitats tropicais de recifes rasos de coral.

A plataforma, que combina imagens de satélite, análises avançadas e análises baseadas em objetos, é uma colaboração global que oferece mapas com dados bentônicos (do leito do oceano) e geomórficos (relativos aos relevos) do ecossistema marinho em detalhes sem precedentes dos recifes localizados entre as latitudes 30º N e 30º S.

Leia também:

Uma das ferramentas mais recentes do Atlas e ainda em versão beta é a que faz o rastreamento quase em tempo real do fenômeno de branqueamento dos corais, que os cientistas atribuem às mudanças na temperatura das águas dos oceanos. O novo recurso é uma importante arma de conservação dos corais, responsáveis por abrigar um dos maiores contingentes de espécies no planeta, tanto em número quanto em diversidade.

Imagem: Allen Coral Atlas: reprodução

Mais de 30 países já estão utilizando os dados do Atlas para apoiar projetos de conservação, graças à capacidade de detecção da plataforma. Usando aprendizado de máquina para lidar com 12 atributos estruturais de mares rasos (encostas de recifes, cristas, planícies, lagoas, exposição das ondas e até turbidez da água), o Atlas é capaz de classificar os habitats e a geomorfologia de áreas marinhas costeiras com profundidades entre 10 e 15 metros, cobrindo mais de 250 mil km2.

Fontes: Olhar Digital e Allen Coral Atlas.

Post Author: Geocracia