Auditores do TCE/BA estudam usar drones para fiscalizar obras públicas

Imagem: TCE/BA – divulgação

O Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA) estuda empregar drones em auditorias de obras públicas, a exemplo do que já está sendo feito pelo TCE/PR. Em entrevista ao portal Geocracia, os gerentes de Auditoria do TCE/BA Heinz Ulrich Ruther e Marcos Tadeu Carneiro Lima dizem que a facilidade de uso das ferramentas de geoinformação e sensoriamento remoto permitem avanço, transparência e controle de informações.

De que forma o uso de geoinformação e sensoriamento remoto no emprego de imagens de alta definição pode ser uma alternativa viável para avaliação de obras públicas?

O uso de VANTs (Veiculo Aéreo não Tripulado) na documentação de canteiros e acompanhamento do avanço da obra permitirá maior confiabilidade no levantamento das especificações e dos quantitativos dos serviços executados.

Quais são as vantagens do uso desta técnica para a administração pública?

Ela permite maior agilidade na preparação e tomada de decisão da confecção dos Papéis de Trabalho; trabalhar com imensas bases de dados e transformá-las em mapas, que serão analisados individualmente ou combinados com outros mapas; obtenção de informações para gerar conhecimento estratégico; detectar padrões espaciais de longos trechos rodoviários; elaborar mapeamentos que auxiliarão na simulação e na modelagem espacial de um projeto com grandes dimensões; facilidade na identificação de problemas em locais de difícil acesso; possibilidade na redução do tempo de inspeção; possibilidade na simplificação das etapas de inspeção; possibilidade no monitoramento de grandes áreas em curto tempo; fornecimento de dados e informações sobre as condições do canteiro de obras para a tomada de decisão em tempo real; obtenção de documentação georreferenciada imediata; condições de trabalho em ponto cego de equipamentos pesados (guindastes e gruas) ou outras condições excepcionais; e possibilidade na simplificação das etapas de inspeção realizadas in loco.

O TCE/BA poderia, com base em sensoriamento remoto e uso de imagens orbitais, formar provas geográficas para questionar tomadas de decisões de órgãos públicos?

Ela é importante para o suporte para questionamento de quantitativos, cronogramas de serviços e especificações de materiais e também de serviços. Ademais, para melhorias na identificação dos progressos e/ou desvios dos serviços.

Quais potenciais aplicações geoinformacionais a Bahia poderia utilizar em atividades voltadas para o controle externo, como políticas públicas de meio ambiente, regularização fundiária, obras de infraestrutura, combate à seca, entre outros?

Entre as geotecnologias, estão os Sistemas de Informação Geográfica, Cartografia Digital, Sensoriamento Remoto por Satélites, Sistema de Posicionamento Global (ex. GPS), Aerofotogrametria, Geodésia e Topografia Clássica, entre outros.

A visão sinóptica do meio ambiente ou da paisagem possibilita estudos regionais e integrados, envolvendo vários campos do conhecimento, sendo inviável a gestão de uma metrópole sem utilização de informação georreferenciada. A facilidade de uso da tecnologia permite avanço, transparência e controle de informações e as imagens obtidas através do sensoriamento remoto proporcionam uma visão de conjunto multitemporal de extensas áreas da superfície terrestre. 

Post Author: Geocracia