Basf passará a monitorar por satélite pragas nas culturas de algodão, cana e milho

Imagem: Embrapa (satélite GeoEye)

Como parte de sua estratégia global de ampliar para 3 milhões de hectares a área coberta de sua ferramenta de monitoramento por satélites de pragas em lavouras, a Basf anunciou que já está pronta para acompanhar, no Brasil, a cultura de algodão e, a partir de setembro, a de cana de açúcar. A lavoura de milho começará a ser monitorada em janeiro.

Há cerca de um ano, a empresa alemã adquiriu uma tecnologia de micro-ondas da empresa holandesa VanderSat que permite “ver” através das nuvens, o que impedia a captura de imagens de satélite. O novo sistema foi testado com sucesso em cerca de 1 milhão de hectares, no Brasil, EUA e Europa, durante a safra 2020/2021.

Leia mais aqui.

Veja também

Geo e Legislação

Etiópia adota a One Map Policy

O Instituto de Informação Geoespacial da Etiópia anunciou a formulação de uma política para regular a divulgação de dados ambientais e geográficos daquele país africano por meio de uma conta única. Segundo a instituição, a política regularia a aquisição, arquivamento e disseminação de informações espaciais por meio de um único portal.

Agro e Ambiental

Mapa da Lama: Conheça app que mapeia possíveis rompimentos de barragens

“Apreensão eu sinto o ano todo, mas piora nessa época de chuvas mais intensas”, afirma a professora Maria Augusta Pereira, que mora em Congonhas (MG). Sua casa fica a 200 metros da barragem Casa de Pedra, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), uma das maiores estruturas de rejeitos de mineração do

Não perca as notícias de geoinformação