Câmara aprova Cadastro Nacional de Animais Domésticos

Imagem: Guvo59 – Pixabay

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, na última sexta-feira (19), o Projeto de Lei 3720/15, que cria o Cadastro Nacional de Animais Domésticos. Como o texto tramitou em caráter conclusivo, pode seguir direto para o Senado, a não ser que surja algum recurso para votação em Plenário.

Segundo o autor do PL, deputado Carlos Gomes (Republicanos – RS), a proposta atende diversas demandas da sociedade, como melhorar o controle de zoonoses e ajudar os donos a encontrar seus pets perdidos. Pelo texto original, o cadastro seria obrigatório, mas, para evitar impactos sobre orçamento, o substitutivo do deputado Luizão Goulart (Republicanos-PR), torna a medida facultativa.

Leia também:

De acordo com o texto aprovado, o cadastro não poderá reunir dados de animais que se destinam à produção agropecuária para produtos ou serviços. Além disso, deverá conter, pelo menos:

  • A identidade, o endereço e o CPF do proprietário do animal;
  • O endereço onde o animal é mantido e sua procedência;
  • O nome popular da espécie;
  • A raça;
  • O sexo;
  • A idade real ou presumida;
  • Vacinas já tomadas e doenças já contraídas ou em tratamento;
  • A categoria do animal quanto à sua função (estimação ou entretenimento), e
  • Se o animal é portador de chip que o identifique como cadastrado. 

O proprietário também deverá informar a venda, doação ou morte do animal, apontando sua causa. As informações fornecidas serão de responsabilidade do declarante, que poderá incorrer em sanções penais e administrativas, se forem falsas, enganosas ou omissas.

Caso o governo federal opte por criar o cadastro, os animais deverão ser cadastrados nos municípios e no Distrito Federal. A União fornecerá aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios o modelo comum do cadastro a ser adotado, que ficará disponível na Internet.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Veja também

Geo e Legislação

BUPi bate novo recorde de processos georreferenciados em Portugal

Em julho, mais de 10.000 processos de Representação Gráfica Georreferenciada (RGG) foram iniciados no Balcão Único do Prédio (BUPi), plataforma do governo português que opera o sistema de informação cadastral simplificado. Ela permite a donos de imóveis rústicos identificar e registrar suas propriedades presencialmente, num balcão BUPi ou pela Internet,

Não perca as notícias de geoinformação