Censo mostra força de São Paulo, Fortaleza, Curitiba e Goiânia

São Paulo, Fortaleza, Curitiba e Goiânia
São Paulo e Curitiba consolidam posição, enquanto Fortaleza se prepara para liderar NE e Goiânia revela a força do agro – imagens: Wikimedia Commons e Prefeutura de Goiãnia (Jackson Rodrigues)

A prévia do Censo Demográfico 2022 apresentada nos últimos dias de dezembro revela, além da redução do crescimento populacional brasileiro (somos quase 208 milhões), a confirmação de algumas tendências referentes à consolidação e mudança de eixos de desenvolvimento regionais. São Paulo e Curitiba, por exemplo, se consolidam como principais pólos regionais do Sudeste e Sul, respectivamente, enquanto Fortaleza ameaça a primazia de Salvador no Nordeste.

De acordo com o que foi recenseado até 25 de dezembro, a capital paulista aparece com 12,2 milhões de habitantes, contra 6,6 milhões do Rio de Janeiro. Isso é quase o dobro de paulistas em relação a cariocas, a maior diferença desde o Censo de 1960, quando São Paulo passou o Rio pela primeira vez. O resultado consolida ainda mais a posição da metrópole da terra garoa como principal pólo do sudeste.

Já no sul, Curitiba coloca quase meio milhão de habitantes sobre Porto Alegre (1,87 milhão contra 1,40 milhão de habitantes) e confirma a tendência de mudança do eixo econômico sulista para a capital paranaense, o que já se via há alguns anos. Porto Alegre, inclusive, deixou a lista das 10 maiores cidades brasileiras, foi ultrapassada por Goiânia, com 1,41 milhão de pessoas, e já se vê ameaçada por Guarulhos (SP), com 1,38 milhão.

Fortemente impactada pela prosperidade do agronegócio, a capital de Goiás só perde no Centro-Oeste para a vizinha Brasília, que tem o dobro do número de habitantes (2,92 milhões) e é a terceira maior metrópole do país.

Porto Alegre saiu do top 10 e já se vê ameaçada por Guarulhos

Fortaleza prestes a passar Salvador

No Nordeste, Fortaleza está muito perto de ultrapassar Salvador em número de habitantes. Com avanços registrados nas últimas décadas nas áreas de educação, qualidade de vida e investimentos, a capital cearense tem apenas 14 mil moradores a menos que a baiana (2,596 milhões contra 2,610 milhões).

Leia também:

Na semana passada, com base em 83,9% da população recenseada pelo Censo Demográfico 2022 até 25 de dezembro, o IBGE divulgou a prévia da população, mostrando que o Brasil chegou a 207.750.291 habitantes este ano. Veja a lista completa aqui.

A divulgação tem como objetivo cumprir a lei que determina ao Instituto fornecer anualmente o cálculo da população de cada um dos 5.570 municípios do país para o Tribunal de Contas da União (TCU).

“Este modelo adotado foi bastante estudado e aprovado pela Comissão Consultiva do Censo 2022, que olhou detalhadamente o processo desenvolvido para fornecer ao TCU e à sociedade os melhores dados técnicos e reais possíveis”, afirma o diretor de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo.

Ainda em campo e realizando coletas desde 1º de agosto, o Censo 20220 já visitou 87,7 milhões de domicílios particulares (mais de 178 milhões de pessoas) e continuará a ser realizado durante o mês de janeiro de 2023.

Os moradores de domicílios onde ainda ninguém respondeu ao Censo 2022 devem ligar para o Disque-Censo 137, que atende a todos os estados do país. O serviço será disponibilizado de forma gradativa nos municípios de acordo com o andamento da coleta em cada local. Para saber se o Disque-Censo está disponível no seu município, clique aqui.

A ligação é gratuita e pode ser feita de qualquer telefone fixo ou celular todo os dias da semana das 8h às 21h30.

Fonte: IBGE

Veja também

Não perca as notícias de geoinformação