CGU recebe trabalhos sobre ciência de dados até 18 de julho

ciência de dados
Imagem: Geralt – Pixabay

Até o dia 18 de julho, a Revista da Controladoria Geral da União (CGU) está recolhendo trabalhos para a elaboração do dossiê especial “Ciência de Dados na Administração Pública: Desafios e Oportunidades”. São aceitos artigos científicos, ensaios revisionais ou relatos técnicos nas seguintes áreas:

  • Ciência de dados e auditoria governamental;
  • Ciência de dados e a avaliação de políticas públicas;
  • Ciência de dados no aprimoramento da gestão;
  • Ciência de dados aplicada à participação e ao controle social;
  • Tecnologias de Transformação digital na Administração Pública;
  • Uso da tecnologia na atividade correcional;
  • Uso de Big Data, Data Mining e IA no combate à Corrupção e Detecção de Fraudes;
  • Inovações Tecnológicas de Gestão Pública decorrentes da Pandemia; e
  • Aplicações para Governo Eletrônico.

Segundo a editora da revista, Flávia Lemos Xavier, o objetivo do dossiê é ser indutor em temas do interesse da CGU, conectar a comunidade científica e inovar, fomentando a aplicação do conhecimento para a prática administrativa. “A revista é parte da gestão estratégica do conhecimento da CGU, com influência em toda a administração pública”, diz Flávia.

Os interessados em submeter seus trabalhos podem obter mais informações no site da revista. O dossiê será publicado na edição de dezembro e terá coordenação de editores convidados: os professores Alex Lopes Pereira (ENAP), Ricardo Marcacini (ICMC/USP) e Solange Oliveira Rezende (ICMC/USP).

Leia também:

O estudo Digital 2022: Global Overview Report, aponta que os quase 5 bilhões de usuários de Internet no mundo (pessoas, empresas e órgãos governamentais) representam 62,5% da população mundial, usando a rede para entretenimento, notícias e acesso a conhecimento, além de também produzirem e disseminarem informação. A ciência de dados surge para filtrar e interpretar toda essa quantidade de informação.

O tema é uma área de pesquisa interdisciplinar que tem recebido cada vez mais atenção por popularizar o uso de métodos científicos para extração de conhecimento de bases de dados. Estatística, aprendizado de máquina, banco de dados, mineração de dados e textos, big data e recuperação da informação são exemplos de áreas exploradas por um cientista de dados.

Segundo a pesquisadora em Inteligência Artificial do Departamento de Ciência de Computação do ICMC/USP, Solange Oliveira Rezende, no setor governamental, esse trabalho aumenta a transparência na administração pública, o controle e a fiscalização social. Ela destaca que há um grande esforço para melhorar a Política de Dados Abertos, disponibilizando dados abertos governamentais.

A gestão eletrônica de documentos e os recentes estímulos para disponibilização de plataformas de dados governamentais abertos são exemplos de como grandes bases de dados digitais da administração pública estão atualmente disponíveis. 

Já o engenheiro da computação Alex Lopes Pereira defende que a ciência de dados na administração pública tem grande potencial para melhorar a efetividade da atuação do poder público e ajudar os brasileiros a tomar melhores decisões.

Fonte: Agência Brasil

Veja também

Agro e Ambiental

Mapbiomas: Brasil ganha 1,7 milhão de hectares de água em 2022

O Brasil está secando: em 30 anos, o país perdeu 1,5 milhão de hectares de superfície de água. Mas 2022 trouxe um pouco de alívio: dados do MapBiomas Água mostram que no ano passado a superfície de água no país ficou 1,5% acima da média da série histórica, que tem início

Não perca as notícias de geoinformação