China lança primeiro atlas de sensoriamento remoto de luz noturna urbana

O Centro Internacional de Pesquisa de Big Data para Metas de Desenvolvimento Sustentável chinês (CBAS, em Inglês) lançou o primeiro atlas de sensoriamento remoto do mundo de luz noturna urbana, fornecendo suporte para a pesquisa sobre o desenvolvimento sustentável urbano.

O atlas contém dados de luz noturna com resolução de 10 metros sobre 147 cidades em 105 países.

Gostou desta notícia? Clique aqui e receba na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

Seguradoras adotam sensoriamento remoto para monitorar áreas agrícolas
Embrapa e Incra estabelecem parceria para desenvolver soluções de inteligência territorial
“É urgente uma instância federal para regular geoinformação”

Os dados foram capturados pelo satélite SDGSAT-1, que foi lançado ao espaço em 5 de novembro de 2021. Este é o primeiro satélite de ciência espacial do mundo dedicado a atender à Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável.

O satélite foi projetado para fornecer dados de observação espacial para o monitoramento, avaliação e estudo das interações entre os seres humanos, a natureza e o desenvolvimento sustentável, de acordo com seu desenvolvedor, a Academia Chinesa de Ciências.

Guo Huadong, chefe do CBAS, disse que o atlas é uma conquista importante no campo da deteção de elementos ambientais da superfície da Terra em condições de pouca luz.

Os dados podem refletir totalmente o padrão de assentamento humano urbano e desenvolvimento econômico, além de fornecer suporte de dados para pesquisas relacionadas e tomada de decisões sobre o desenvolvimento urbano sustentável, acrescentou Guo.

De portuguese.people.com.cn

Veja também

Geo e Legislação

Receita terá cadastro imobiliário em portal único e acesso gratuito

Anunciado na semana passada pela Receita Federal, o Cadastro Imobiliário Brasileiro (CIB) “terá suas informações reunidas gratuitamente em único portal por meio de ferramenta gráfica de visualização, respeitadas as regras de proteção de dados pessoais e de sigilo previstas em lei”. A afirmação é do coordenador Geral de Cadastros e

Geo e Legislação

Vazamento de dados, privacidade e vigilância sob a ótica da LGPD

Em artigo para o Blog de Fausto Macedo, no Estadão, Camila Vilela, Christine Albiane e Ricardo Moura, pesquisadores em Direito Digital, alertam que o progresso tecnológico precisa ser acompanhado da evolução jurídica, norteada pela proteção da dignidade da pessoa humana, pelo propósito de melhorar a vida das pessoas e salvaguardando

Não perca as notícias de geoinformação