Correios vão exigir identificação para postagem de encomendas

correios
Fernando Frazão/Agência Brasil

A partir de 1º de setembro, qualquer encomenda nacional postada nos Correios deve estar identificada com o CPF, CNPJ ou número de passaporte, caso o remetente seja estrangeiro. Sem essa identificação, os funcionários da empresa pública poderão recusar a postagem do pacote.

Segundo a estatal, a ideia é permitir o rastreamento das postagens, proporcionando mais segurança no processo de envio. As encomendas postadas para lockers “Clique e Retire” devem conter, além do CPF, CNPJ ou número do passaporte, o número de telefone ou e-mail de quem fizer a postagem.

Para evitar perda de tempo com o novo processo, é possível inserir os dados nos nos sistemas de pré-postagem do site da empresa, antes de ir à agência.

Há alguns meses, após circularem notícias de que essa medida seria tomada, os Correios chegaram a emitir um comunicado negando que fossem passar a exigir documentos dos remetentes de encomendas.

Leia também:

A estatal explica que as informações são obrigatórias e atendem à legislação tributária, que responsabiliza o remetente. No caso de envios para outros países, as informações de CPF e CNPJ são obrigatórisa, de acordo com a regulação das alfândegas.

A exigência de identificação a partir de setembro atende também a protocolo dos Correios, que exige a nota fiscal ou declaração de conteúdo nas postagens de encomendas.

Fonte: Rádio AgênciaNacional

Veja também

Geo e Legislação

STF descarta Censo 2022 no cálculo do FPM. Prefeituras pleitearão anulação

O plenário do STF, por unanimidade, referendou liminar que determinou que a distribuição do FPM – Fundo de Participação dos Municípios deste ano tenha como patamar mínimo os coeficientes de distribuição utilizados no exercício de 2018. A Corte manteve suspensa decisão normativa do TCU que determinava a utilização dos dados

Geo e Legislação

Edmilson Volpi: o mito cartográfico dos dragões nas bordas da Terra

Durante a época romana e até a Idade Média, os cartógrafos usavam a inscrição HIC SVNT LEONES (do latim, “aqui existem leões”) para marcar áreas de territórios inexplorados em mapas. Em artigo para a GIS Lounge, Caitlin Dempsey, editora da revista, lembra que o limite do mundo conhecido era então

Não perca as notícias de geoinformação