Dados geolocalizados é estratégico para 90% das empresas

O uso de dados geolocalizados tem se destacado como um recurso estratégico para expansão de mercado. Relatório recente da Statista, mostra que cerca de 90% das empresas que investem em análise de dados estão utilizando informações de geolocalização em suas estratégias de negócios.

O uso estratégico de dados geolocalizados tem se destacado como um recurso diferencial para as empresas alcançarem seu público-alvo com maior nível de precisão, principalmente no cenário atual no qual a concorrência é acirrada na disputa pela atenção de potenciais clientes e consumidores e determinante para a expansão de mercado. De acordo com um relatório recente da consultoria de mercado Statista, cerca de 90% das empresas que investem em análise de dados, estão utilizando informações de geolocalização em suas estratégias de negócios.

Clique aqui e receba notícias na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

Georreferenciamento urbano: ABEC-SP diz faltarem profissionais para serviços em mercado bilionário
Meninas da Geo: O mercado Geo na Amazônia está bem aquecido
Montadoras podem gerar boom no mercado de satélites. Saiba por quê

Essa cultura mais Data Driven – de utilizar dados nos processos de tomadas de decisão – tem se apresentado como uma vantagem competitiva diferenciada para os negócios em todos os segmentos de mercado, visto que 79% dos consumidores utilizam seus smartphones para pesquisar produtos ou serviços com base na localização e as empresas que adotam estratégias utilizando dados geolocalizados relatam um aumento médio de 32% nas vendas, segundo a consultoria de mercado Statista

Um estudo recente da Harvard Business Review, indicou que 87% das organizações que implementaram análise de geolocalização observaram um aumento na satisfação do cliente, entendendo que a experiência na jornada de compra está diretamente ligada ao comportamento de consumo o qual podem ser percebido com o uso dos dados de geolocalização para compor os perfis de comportamento, consumo e experiência de cada cliente.

Outro mercado relevante no uso de dados geolocalizados é o mercado publicitário. Relatório da GVR pesquisas aponta que no ano de 2019 o mercado de publicidade estava avaliado em US$ 62,35 bilhões e crescerá até em 2025 para mais de US$ 93,52 bilhões, somente no uso de dados geolocalizados nas suas estratégias de publicidade e comunicação.

Essa demanda está sendo aquecida pelos profissionais de marketing que utilizam esses dados, principalmente nos canais digitais, onde a concorrência para alcançar o consumidor é mais acirrada e a diferenciação para capturar audiência é relevante para os resultados.  Esse fato pode ser comprovado pela pesquisa realizada com a Mobile Marketer, que aponta que as estratégias de marketing direcionadas por geolocalização têm uma taxa de conversão média 50% superior às campanhas tradicionais.

Dados, Inteligência e Revolução Digital

O Brasil, é o 5º maior mercado publicitário mundial, com investimento acima dos $21,3 bilhões de dólares ao ano e as previsões apontam que até 2026 o Brasil terá uma penetração no mercado digital superior a 75%. Boa parte dos investimentos em publicidade serão direcionados para os canais digitais e o uso de dados geolocalizados serão estratégicos para expansão não só destes canais, mas também nas decisões de operações das empresas brasileiras

Mas estamos na vanguarda no uso de dados geolocalizados. Uma Startup de Big Data de Curitiba, desenvolveu uma plataforma que é possível indexar os dados dos 23 milhões de cnpj brasileiro com dados geolocalizados dos dispositivos brasileiros, usando para isso, modelos de Inteligência Artificial para gerar inúmeros insights sobre comportamento de consumo e localização de públicos para estratégias de marketing e apoio nas tomadas de decisões orientadas por dados, para as empresas brasileiras.

Profissionais de mercado que já tiveram acesso à solução, a consideraram como “revolucionária”.  Os Algoritmos desenvolvidos entendem a interação entre dispositivos moveis e estabelecimentos, a partir de uma cadeia complexa de eventos, criando padrões de perfis de comportamento de consumo de acordo com cada segmento de mercado. Esta compreensão – não apenas sobre o comportamento de consumo, mas também dos padrões de movimentação que demonstram o interesse em setores específicos – pode representar uma “virada de jogo” para as empresas no mercado brasileiro, colocando o Brasil, mais uma vez, na vitrine do mercado global tecnologias inovativas. Segundo Arcson Assunção, fundador da Crowd Voice, “Estamos num momento inédito da história, no qual o alto volume de dados combinado com tecnologias de inteligência artificial de última geração, nos permite uma melhor compreensão de comportamento, características e interesses de distintos público-alvo, possibilitando agregar uma nova visão estratégica às ações de Marketing e Inteligência de Mercado paras empresas”.

Impacto em diversos setores

O uso de dados geolocalizados impacta significativamente diversos setores da economia. Do varejo, com a personalização de produtos, ofertas e experiência, passando pelo setor de transporte, logística para otimização de rotas, na agricultura com o monitoramento do solo e das condições climáticas ou na saúde para rastreamento de epidemias e alocação de recursos. Mas o grande impacto que deverá moldar o futuro no uso dos dados geolocalizados além do mercado publicitário, estão nas chamadas “cidades inteligentes” onde os governos e formuladores de políticas públicas poderão se beneficiar do conhecimento gerado por esses dados, para otimizar os cenários de desenvolvimento nos âmbitos sociais, econômicos e de infraestrutura. “O uso de dados geolocalizados independente da aplicação na iniciativa privado ou pública será determinante para o futuro competitivo de empresas e governos”, comenta Marcelo Figueiral, diretor de inovação da startup da Crowd Voice.

À medida que mais empresas reconhecem os benefícios na expansão contínua no uso dos dados geolocalizados com as possibilidades de otimizar as relações e impulsionar resultados de negócios tanto na iniciativa privada como pública, dados com base em geolocalização se tornaram cada vez mais presente no dia a dia do mercado brasileiro, principalmente para as estratégias em localizar futuros consumidores via campanhas publicitárias no marketing digital.

Por Crowd Voice

Veja também

Agro e Ambiental

Opinião: A defesa da geoinformação na Amazônia. É o mapa, estúpido!

Luiz Ugeda* Membro do Porto Advogados, Doutor em Geografia pela Universidade de Brasília e doutorando em Direito na Universidade de Coimbra O mundo sempre foi representado de forma distorcida. Isso é natural pois, salvo se formos terraplanistas, representar algo esférico de forma plana sempre causa esse efeito. Como exemplo, a

Não perca as notícias de geoinformação