Edmilson Volpi: O surpreendente resultado da digitalização de um mapa de 430 anos

Imagem: David Rumsey Collection – reprodução

E se alguém pegasse o mais completo mapa do século 16 com todo o mundo conhecido na época e digitalizasse todas as suas folhas usando a tecnologia atual? Como seria esse mundo antigo visto pelos nossos olhos de hoje? Pois foi exatamente isso que a Universidade de Stanford fez com as 60 folhas de um dos mais antigos, maiores e completos mapas-múndi, desenhado à mão pelo cartógrafo italiano Urbano Monte, em 1587, e adquirido pela Coleção de Mapas Daivd Rumsey, da própria Universidade.

E o resultado não poderia ser mais surpreendente. Mesmo com os parcos conhecimentos da época, o mapa de Monte chama a atenção pela sofisticação científica que o cartógrafo do século XVI demonstrou ao criar um mapa azimutal com o pólo norte ao centro e pela precisão confirmada quando se juntam todas as suas folhas digitalizadas em um globo.

Leia também:

Inicialmente, o mapa foi criado folha a folha com ricos detalhes e desenhos típicos da época, como misteriosos monstros marinhos e aterrorizantes bestas selvagens. Se fossem unidas fisicamente, as folhas de papel formariam um enorme mapa de superfície esférica com três metros de diâmetro (figura abaixo) o maior do mundo no gênero.

Imagem: David Rumsey Map Colletcion – reprodução

Essa “união, no entanto, só foi possível graças à digitalização. Com informações sobre território, clima, costumes, duração do dia e distâncias entre regiões, o trabalho de Monte até hoje encanta os cartógrafos, que continuam a estudá-lo.

Fonte: David Rumsey Map Collection e Curiosidades Cartográficas

Edmilson M. Volpi é engenheiro cartógrafo e editor da página Curiosidades Cartográficas no Facebook Instagram

Post Author: Geocracia