Edmilson Volpi: Por que antigos cartógrafos temiam tanto os espaços vazios nos mapas?

Rosa-dos-ventos, veleiros e cartouches estão entre os elementos decorativos no mapa de 1611 de Peieter van den Keere. Cortesia da biblioteca do estado da Califórnia.

O Oceano Índico está repleto de monstros marinhos no mapa-múndi de 1558 de Caspar Vopel. Uma criatura gigantesca semelhante a um peixe-espada parece estar em rota de colisão com um navio, enquanto uma morsa com presas assustadoramente grandes emerge da água e um rei carregando uma bandeira surfa as ondas em uma besta com cara de porco.

Vopel, um cartógrafo alemão, não deixou nenhuma explicação sobre porque adicionou essas coisas ao seu mapa, mas ele pode ter sido motivado pelo que os historiadores de arte chamam de horror vacui, o medo do artista de deixar espaços sem adornos em seu trabalho.

Chet Van Duzer, um historiador da cartografia, encontrou dezenas de mapas nos quais os cartógrafos parecem ter preenchido os espaços vazios em com montanhas, monstros, cidades e outras ilustrações gratuitas inexistentes. Para Greg Miller, da National Geographic, as motivações reais desses cartógrafos se perderam no tempo.

Para ler a tradução ao português, clique aqui.

Edmilson M. Volpi é engenheiro Cartógrafo e editor da página Curiosidades Cartográficas no Facebook e Instagram

Post Author: ugeda