ES: Mapeamento com drones vai ajudar na prevenção a desastres meteorológicos

O Governo do Estado do Espírito Santo, por meio do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e da Defesa Civil Estadual, está desenvolvendo um projeto que vai contribuir para a prevenção e o enfrentamento de desastres meteorológicos. É o aerolevantamento de território com uso de drones.

A iniciativa prevê o mapeamento tridimensional do território, permitindo identificar com antecedência áreas com risco de deslizamentos e inundações, além de oferecer mais agilidade no atendimento a eventuais ocorrências.

Gostou desta notícia? Clique aqui e receba na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

INPE permite acesso livre a dados e produtos meteorológicos

Carlos Magno: “O meteorologista é um dos profissionais mais importantes da nova sociedade”

Inpe, Inmet e Censipam se integram e criam Sistema Nacional de Meteorologia

O diretor de Estudos e Pesquisas do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Pablo Jabor, explica que o projeto tem o objetivo de identificar, de forma mais rápida, as principais áreas que estão sob risco de deslizamento e de alagamentos.

“Com esse projeto, pretendemos realizar mapeamentos em áreas de risco utilizando drone. A ideia é desenvolvermos uma metodologia em que rapidamente se consiga construir uma ortofoto, que é um mosaico feito a partir de várias fotografias de uma mesma região. A partir daí, é possível construir modelos tridimensionais, que ofereçam maior detalhamento de cada área de risco e o levantamento de eventuais ocorrências. Dessa forma, conseguimos reduzir para um ou dois dias um trabalho que levaria mais tempo e com maior custo”, pontuou Pablo Jabor.

De acordo com o diretor-presidente do Instituto Jones dos Santos Neves, Pablo Lira, estão sendo utilizadas geotecnologias que permitem integrar informações das bases cartográficas do Estado, o Geobases, às imagens aéreas obtidas pelos drones.

“Com a integração dessas tecnologias, é possível fazer uma combinação de imagens e identificar, pelas cotas de inundação de uma determinada região, as residências e áreas comerciais que podem ser afetadas em caso de chuvas fortes, por exemplo. Essa informação contribui para o trabalho da Defesa Civil e dos municípios, que podem atuar de forma preventiva na mitigação e adaptação dos riscos causados por eventos climáticos extremos”, ressaltou Pablo Lira.

Além da Defesa Civil do Estado, o projeto conta ainda com apoio do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema). A proposta, segundo os idealizadores, é buscar novas parcerias, integrando também outros órgãos do Estado.

Homenagem

O projeto de aerolevantamento com uso de drones foi um dos destaques apresentados pelo Instituto Jones dos Santos Neves na Feira de Cidades Inteligentes do Espírito Santo – InovaES, que aconteceu nos dias 04 e 05 de abril, em Vitória. A ação foi promovida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes).

Durante o evento, o Instituto Jones foi homenageado com a menção honrosa pelo trabalho de valorização da ciência e por sua contribuição na transformação da sociedade. A honraria foi entregue pelo secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação e Educação, Bruno Lamas, ao diretor-presidente do IJSN, Pablo Lira.

“Entre os objetivos do Instituto Jones dos Santos Neves está, a partir da produção de informação e de conhecimento, o aprimoramento das políticas públicas em benefício de toda a população capixaba”, destacou Pablo Lira.

Do Governo do Estado do Espírito Santo

Veja também

Geo e Legislação

Lançado livro sobre Informação Geoespacial na Administração Pública em Portugal

Informação Geoespacial na Administração Pública: fundamentos, desafios e oportunidades de aplicação é o novo livro lançado pela INA Editora, pertencente ao Instituto Nacional de Administração de Portugal, onde é abordada a evolução do uso da informação geoespacial na administração pública, com a coordenação de Alexandra Aragão e Ana Celeste Carvalho.

Não perca as notícias de geoinformação