Estudo de pesquisadora do Inpe aponta que, com devastação, Amazônia virou emissora de CO2

Imagem: Nasa

Estudo publicado este mês na revista Nature pela pesquisadora do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas) Luciana Gatti conclui que o desmatamento e as queimadas estão transformando a floresta Amazônica de consumidora em emissora de CO2. De acordo com o trabalho, hoje, além do que consegue absorver, a floresta estaria emitindo para a atmosfera quase 300 milhões de toneladas de carbono por ano. O estudo aponta ainda que o ponto mais crítico é a região sudeste da Amazônia, que limita com outros biomas e concentra parte do chamado “Arco do desmatamento”, região vulnerável da floresta, por pressões de desmatamento e queimadas.

Leia mais aqui.

Veja também

Entrevistas e Artigos

Carlúcio Baima: “O Iphan está pronto para a Geoinformação”

Ex-chefe de Divisão da Coordenação-Geral de Licenciamento Ambiental (CNL) do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e atualmente consultor em arqueologia, Carlúcio Baima afirma que o Instituto está preparado para gerir dados espaciais brasileiros relativos à preservação e gestão do patrimônio cultural e à construção de novas políticas

Não perca as notícias de geoinformação