Falta do Censo atrapalha distribuição de vacinas

Hoje (18/01), um C-130 Hércules da #FAB, vindo de Guarulhos/SP, pousou em Brasília/DF e descarregou vacinas para combate à #COVID19. A aeronave decolou às 15h49 para Manaus/AM transportando o imunizante. A missão continua.
Imagem: Agência Brasil – Marcello Casal Jr.

A ausência de estimativas populacionais mais precisas está provocando divergências nas quantidades de doses de vacinas contra a covid-19 distribuídas aos municípios brasileiros. Como o critério de distribuição das doses mudou – antes, era por grupo prioritário e, agora, por faixa etária –, os cálculos, que se baseiam na contagem da população do último Censo, estão defasados, já que a pesquisa deveria ter acontecido ano passado, mas foi adiada por conta da pandemia: “O Ministério da Saúde envia doses com base na população, mas estamos há 12 anos sem Censo, e os cálculos divulgados em 2010 estão sendo utilizados como base”, afirma ao Jornal Opção a diretora do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de Goiás (Cosems-GO), Verônica Savatin.

leia a reportagem aqui.

Veja também

Entrevistas e Artigos

Como a diligência imobiliária salvaguarda o mercado: Golpes e erros

A due diligence imobiliária – ou, como chamamos na Geocracia, o “raio-x territorial” – é uma prática indispensável, mas, ainda, pouco explorada principalmente com a integração entre alta tecnologia e Geoinformação, seja na mitigação de riscos, na promoção de transações seguras e transparentes ou mesmo na segurança jurídico-territorial. Este processo

Não perca as notícias de geoinformação