Geocracia na imprensa: 53 imóveis da União afetados pela Braskem

Em matéria de O Globo, na coluna do Lauro Jardim, foi exposto que a União tem prejuízo em 53 imóveis de sua propriedade por causa dos deslizamentos na região das minas da Braskem em Maceió, ao redor do bairro do Mutange. A maior parte dos imóveis está sob administração da Marinha.

A informação foi levantada pela plataforma Geocracia, que cruza informações geoespaciais da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, da Agência Nacional de Mineração e da Infra-SA.

Gostou desta notícia? Clique aqui e receba na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

Startup propõe o “CEP” das lavouras brasileiras
Pato Branco (PR) cria CEP rural combinando latitude e longitude
Artigo: Por uma legislação da política de dados geoestatísticos

O levantamento mostra ainda que, em caso de ruptura do solo, a ferrovia Lourenço Albuquerque-Jaraguá, que passa na região das minas, também correria sério risco de ser diretamente afetada.

Os dados mostram ainda que a jazida está sob cinco bairros da capital alagoana (que possuem 60 mil habitantes) e que a licença para sua exploração foi concedida em 1965.

Para obter os resultados, a startup analisou aproximadamente 200 camadas de geoinformação da União, cruzando dados relacionados a Minas e Energia, Logística, Infraestrutura, Fundiária, Ambiental e Política.

Para acessar a matéria, clique em https://oglobo.globo.com/blogs/lauro-jardim/post/2023/12/uniao-tem-prejuizo-em-53-imoveis-na-area-afetada-pela-braskem.ghtml

Veja também

Geo e Legislação

Itaú aposta no mapeamento inteligente de hábitos de consumo dos clientes

O Itaú, maior banco da América Latina, está investindo pesado no mapeamento inteligente dos hábitos de consumo dos usuários. O objetivo é ampliar a presença do banco em todos os segmentos de mercado e estar presente no open banking, que, segundo a Instrução Normativa nº 120 do Banco Central, tem sua

Não perca as notícias de geoinformação