Geocracia na imprensa: 53 imóveis da União afetados pela Braskem

Em matéria de O Globo, na coluna do Lauro Jardim, foi exposto que a União tem prejuízo em 53 imóveis de sua propriedade por causa dos deslizamentos na região das minas da Braskem em Maceió, ao redor do bairro do Mutange. A maior parte dos imóveis está sob administração da Marinha.

A informação foi levantada pela plataforma Geocracia, que cruza informações geoespaciais da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, da Agência Nacional de Mineração e da Infra-SA.

Gostou desta notícia? Clique aqui e receba na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

Startup propõe o “CEP” das lavouras brasileiras
Pato Branco (PR) cria CEP rural combinando latitude e longitude
Artigo: Por uma legislação da política de dados geoestatísticos

O levantamento mostra ainda que, em caso de ruptura do solo, a ferrovia Lourenço Albuquerque-Jaraguá, que passa na região das minas, também correria sério risco de ser diretamente afetada.

Os dados mostram ainda que a jazida está sob cinco bairros da capital alagoana (que possuem 60 mil habitantes) e que a licença para sua exploração foi concedida em 1965.

Para obter os resultados, a startup analisou aproximadamente 200 camadas de geoinformação da União, cruzando dados relacionados a Minas e Energia, Logística, Infraestrutura, Fundiária, Ambiental e Política.

Para acessar a matéria, clique em https://oglobo.globo.com/blogs/lauro-jardim/post/2023/12/uniao-tem-prejuizo-em-53-imoveis-na-area-afetada-pela-braskem.ghtml

Veja também

Entrevistas e Artigos

O caso Light: tolerância ilimitada a ligações clandestinas cobra seu preço

A Light informou, em 12 de maio, que entrou com pedido de recuperação judicial na 3ª Vara Empresarial do Estado do Rio de Janeiro em caráter de urgência, citando dívidas de cerca de R$ 11 bilhões. Independentemente da motivação, ou mesmo de possíveis críticas a gestão da empresa que possam

Não perca as notícias de geoinformação