Geopolítica: Finlândia constrói muro na fronteira com a Rússia

A construção de um muro pode ajudar a controlar a imigração ilegal, reduzir o tráfico de drogas e o contrabando, e aumentar a segurança nacional. Além disso, os muros podem ter um efeito dissuasório sobre os migrantes que tentam cruzar a fronteira ilegalmente, o que pode reduzir o número de mortes e lesões associadas à migração ilegal.

A Guarda de Fronteira finlandesa iniciou a construção da prevista barreira de fronteira oriental para frear a imigração ilegal russa. O novo piloto será construído em Pelkola em Imatra e compreenderá uma cerca de cerca de três quilômetros de comprimento, após o que cerca de 70 quilômetros de cerca serão construídos nos pontos de passagem de fronteira e em suas áreas adjacentes.

Clique aqui e receba notícias na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

A URSS explicada em 4 mapas históricos

Rússia e Ucrânia: visualizações da guerra pela cartografia jornalística

Edmilson Volpi: Rússia, a figura (mais) perversa representada nos mapas satíricos

De acordo com o plano geral, a cerca será construída ao longo de aproximadamente 200 quilômetros da fronteira leste com 1.300 quilômetros de extensão. A maior parte da cerca estará localizada na fronteira sudeste, que é uma área prioritária para o controle da fronteira.

Segundo a Guarda de Fronteira finlandesa, a cerca de barreira dará à Guarda de Fronteira finlandesa mais tempo para reagir e facilitará a gestão das interrupções de forma decisiva, detectando, prevenindo, retardando e orientando o movimento das pessoas na fronteira. Além disso, a estrada que seria construída ao lado da cerca permitiria que a Guarda de Fronteira reagisse consideravelmente mais rápido do que no momento aos eventos na fronteira nacional. Outros meios de reforçar o controle das fronteiras, como o aumento do pessoal e da vigilância técnica nas regiões fronteiriças, não seriam soluções mais baratas nem mais rápidas do que uma cerca de barreira.

Com informações da Finnish Border Guard

Veja também

Agro e Ambiental

PR: IAT amplia uso de Inteligência Geográfica contra desmatamento

Por trás da redução de 54% no desmatamento da Mata Atlântica no Paraná, melhor índice do país de acordo com levantamento recente do Sistema de Alertas de Desmatamento (SAD) Mata Atlântica, há um robusto setor de inteligência, formado por 33 pessoas, especializado em conferir alertas, garimpar vestígios de supressão da

Não perca as notícias de geoinformação