Governo de Rondônia e Exército desenvolverão a Base Cartográfica do Estado

Com o objetivo de fortalecer as ações de georreferenciamento do perímetro das Unidades de Conservação Estaduais (UCs), e proporcionar ao Estado a obtenção de informações sobre o planejamento físico e financeiro do projeto de construção de uma Base Cartográfica Digital contínua, o Governo de Rondônia firmou um acordo de cooperação com o Exército Brasileiro em reunião que aconteceu no Palácio Rio Madeira – PRM, em Porto Velho.

Com este acordo de cooperação técnica firmado entre Governo do Estado e Exército Brasileiro, por meio da Diretoria de Serviço Geográfico – DSG/EB, a ação permite a troca de informações técnicas e administrativas sobre Rondônia, integrando o trabalho entre a União e o Estado, além de ampliar a infraestrutura do Estado em dados espaciais, materializados em tecnologias, políticas, mecanismos, coordenação e monitoramento.

Gostou desta notícia? Clique aqui e receba na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

General Marcis Mendonça Filho: “Nossa cartografia militar não deve nada a nenhum país”

Ariovaldo Zani: “Agro precisa de banco de dados centralizado e confiável”

Alagoas ganha Base Cartográfica do IBGE

O governador de Rondônia, Marcos Rocha, comentou durante a reunião que o Estado têm evoluído de forma constante em diversos segmentos, e agora, com o apoio conjunto entre o Poder Executivo e Exército Brasileiro, a construção da cartografia do Estado será importante para o desenvolvimento do georreferenciamento e posteriormente, agilizar a regularização fundiária no Estado.

O gestor da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental, Marco Antônio Lagos, declarou que a parceria entre Governo de Rondônia e Exército Brasileiro é muito importante, visto que a construção da Base Cartográfica Digital, “vai servir de base para tomadas de decisões em futuros trabalhos desenvolvidos e o georreferenciamento para termos informações mais detalhadas sobre a situação das Unidades de Conservação do Estado”, afirmou.

Para Davi Inácio, titular da Secretaria de Estado de Patrimônio e Regularização Fundiária – Sepat, o grau de importância para a construção da Base Cartográfica é expressivo. “O Governo de Rondônia, unido com outras secretarias e os demais poderes, tem trabalhado fortemente na questão da regularização fundiária e este projeto vai contribuir para que o Estado avance em projetos de grande expressão”, salientou.

O General de Brigada e diretor do Serviço Geográfico do Exército Brasileiro, Marcis Gualberto Mendonça Júnior, fez uma apresentação sobre como será desenvolvido o projeto de construção da Base Cartográfica Digital Contínua do Estado de Rondônia e do Projeto de Georreferenciamento de Unidades de Conservação, que terá a vigência de 240 dias corridos.

“O projeto de mapeamento do Estado de Rondônia é um desejo do próprio Poder Executivo e do Exército Brasileiro, e isso vai suprir uma carência que hoje afeta outras áreas da esfera estadual. Este acordo foi firmado justamente para definir tudo que o Estado vai precisar e tudo aquilo que o Exército vai poder fornecer. Vamos definir todo o arcabouço documental que vai suportar a execução do projeto”, ressaltou.

A Base Cartográfica Digital vai funcionar por meio de dados vetoriais e dados matriciais. Os dados vetoriais são representados por linhas, pontos e polígonos georreferenciados com seus atributos em camadas diversas e escala definida. Já os dados matriciais são representados por imagens de satélites de alta resolução geocodificados.

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS

O Estado de Rondônia possui atualmente 49 Unidades de Conservação Estaduais, com o total de área protegida de 25.869,53 km, equivalente a 10,89%. As três maiores Unidades de Conservação do Estado, são o Parque Estadual de Corumbiara, com mais de 3.804 km²; Reserva Extrativista Pacaás Novos, em Guajará-Mirim, com mais de 3.462 km² e o Parque Estadual de Guajará-Mirm, com mais de 2.184 km².

TÉCNICA

O georreferenciamento é uma técnica que permite atribuir codificações geográficas a pontos, linhas ou áreas no mapa, que facilitam o monitoramento e o controle dessas áreas. O projeto de georreferenciamento de Unidades de Conservação (UCs) tem por objetivo atualizar e padronizar as informações referentes às áreas protegidas do Estado, de modo a garantir sua efetiva proteção e conservação.

De Governo Estadual de Rondônia

Veja também

Geo e Legislação

Cadastro predial por georreferenciamento avança em Portugal

O sistema de informação cadastral simplificado e o Balcão Único do Prédio (BUPi) continuam a se expandir em Portugal. Já são 48 municípios do Centro e do Norte do país, atendendo a uma população de mais de 850 mil pessoas. Desde o fim do projeto piloto e o início da

Não perca as notícias de geoinformação