Governo lança Painel de Fogo para combate a incêndios florestais

Cada ponto laranja ou vermelho é um foco de incêndio – Painel de Fogo (reprodução)

Desenvolvido pelo Censipam (Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia), órgão do Ministério da Defesa, o Painel de Fogo é a mais nova arma do país para combater queimadas em florestas. Apesar de estar funcionando desde agosto, a plataforma, por enquanto disponível apenas na Amazônia Legal e no Pantanal, foi lançada oficialmente na semana passada, durante um evento em Rondônia.

Atualizada a cada seis horas, em média, a ferramenta permite realizar análises e visualizar quase em tempo real informações sobre os incêndios que estão ocorrendo em todo o país. O sistema recebe informações dos mesmos satélites utilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Leia também:

O Inpe, inclusive já possui uma ferramenta que monitora incêndios, mas o Painel de Fogo não pretende substituí-la. A principal vantagem da nova plataforma é que ela possibilita analisar os focos de incêndio e planejar estrategicamente como combatê-los, com informações sobre a duração do incêndio em determinada região, sua extensão e intensidade.

Coordenador operacional do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia, o tenente-coronel Tadeu Sanches diz que o Painel de Fogo tem ajudado muito no planejamento de ações contra queimadas, que, antes, só eram comunicadas por denúncias. “Depois que o painel passou a ser empregado, conseguimos melhorar nossa atuação. Estamos muito mais proativos no combate aos incêndios”, diz Sanches, acrescentando que os bombeiros acessam a ferramenta logo no começo do expediente para definir os focos prioritários na região em que atuam, traçando as melhores rotas e partindo para os locais dos incêndios.

Já Henrique Bernini, coordenador de queimadas do Censipam, afirma ser importante selecionar um incêndio específico para atuar, pois há diferentes fogos e poucas pessoas para acompanhar. “Tudo acontece ao mesmo tempo.

Fonte: Poder 360

Post Author: Geocracia