Mapa interativo mostra online o lixo espacial em órbita da Terra

Em meio à crescente exploração espacial, o acúmulo de detritos na órbita da Terra se tornou uma preocupação global. Estima-se que mais de 6 mil lançamentos espaciais ao longo de 60 anos tenham deixado cerca de 56 mil objetos em órbita. Atualmente, existem aproximadamente 28 mil detritos espaciais rastreáveis, sendo que 80% deles possuem mais de 10 centímetros e viajam a velocidades capazes de causar danos a satélites e espaçonaves.

Enquanto agências governamentais e empresas comerciais monitoram o lixo espacial como parte essencial de suas atividades espaciais, agora também é possível para o público observar o amontoado de detritos graças a um mapa interativo desenvolvido pela startup LeoLabs, sediada na Califórnia, Estados Unidos.

Gostou desta notícia? Clique aqui e receba na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

Satélite obrigado a fazer manobra para evitar lixo espacial

Lixo espacial: NASA quer remover milhões de detritos

Observatório espacial LISA passa em teste para medir ondas gravitacionais

A LeoLabs construiu uma rede global de radares instalados em locais estratégicos, como Austrália, Nova Zelândia, Portugal, Costa Rica e Estados Unidos. Recentemente, a startup anunciou a instalação de um novo radar na Argentina. Essa rede de radares permite à LeoLabs rastrear objetos na órbita terrestre e coletar dados precisos sobre a movimentação do lixo espacial.

Embora a principal finalidade da LeoLabs seja vender esses dados para agências espaciais e empresas do setor, a startup decidiu oferecer ao público em geral a oportunidade de compreender a magnitude do problema. O mapa interativo permite aos usuários observar o globo terrestre e ampliar ou reduzir a visualização de forma intuitiva. Além disso, é possível filtrar a visualização de acordo com o tamanho e o tipo dos objetos, assim como identificar aqueles que representam maior perigo.

Essa iniciativa da LeoLabs visa aumentar a conscientização sobre o tráfego de detritos espaciais ao redor do planeta. Com a possibilidade de visualizar o lixo espacial em tempo real e compreender sua distribuição e características, as pessoas podem entender melhor os desafios enfrentados pelos cientistas e governos na busca por soluções para mitigar os riscos associados a esses objetos.

A crescente quantidade de lixo espacial representa uma ameaça para as missões espaciais atuais e futuras, além de colocar em risco a infraestrutura em órbita, como satélites de comunicação, observação da Terra e navegação. Iniciativas como o mapa interativo da LeoLabs contribuem para o desenvolvimento de estratégias e políticas que visam garantir um ambiente espacial seguro e sustentável.

Conforme a exploração espacial continua avançando, é essencial enfrentar o desafio do lixo espacial de maneira colaborativa e global. A transparência proporcionada por ferramentas como o mapa interativo da LeoLabs é um passo importante para envolver o público nessa discussão e promover ações que visem preservar o espaço exterior para as gerações futuras.

Veja também

Geo e Legislação

Câmera memoriza mapa visual para se localizar e dispensa GPS

Cientistas da Universidade de Bristol, na Inglaterra, desenvolveram uma câmera que consegue criar uma imagem virtual dos locais por onde passou para memorizá-los. Com isso, ela dispensa o uso de GPS para “saber” onde está. A inovação deverá melhorar a capacidade de localização de dispositivos (como smartphones) em espaços fechados,

Não perca as notícias de geoinformação