Novo app do IBGE permite que usuário personalize dados GNSS

IBGE
Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo – IBGE (reprodução)

O IBGE divulgou nesta terça-feira (28) a página para download personalizado de dados da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo (RBMC) dos Sistemas GNSS. A nova ferramenta facilitará o acesso aos dados rastreados nas 146 estações geodésicas da RBMC espalhadas por todo o Brasil, permitindo customizar sua busca. A nova funcionalidade ajudará os usuários na realização de suas tarefas profissionais, flexibilizando o trabalho de campo graças à redução do tempo de levantamento e melhorando a qualidade e a eficiência na obtenção dos resultados.

O sistema GNSS é utilizado para gerar coordenadas de localização com precisão centimétrica. Ele se vale da navegação e posicionamento por satélite das principais constelações satelitais: o sistema de navegação americano (GPS), o russo (GLONASS), o europeu (Galileo) e o chinês (Beidou). Além de ser usado por profissionais em trabalhos técnicos de georreferenciamento, cadastro de imóveis urbanos e rurais e cadastro ambiental, o sistema é fonte de dados para diversas pesquisas geocientíficas em âmbito global. Ao todo, são feitos cerca de 350 mil downloads mensais nas estações geodésicas do IBGE, sobretudo nas das capitais dos estados.

Leia também:

Entre 2021 e 2022, a procura por informações com intervalo de um segundo aumentou 35%. Esses dados nem eram disponibilizados pelo portal do IBGE, ficando apenas no repositório on-line da instituição, o que dificultava o acesso por parte dos usuários. Agora, porém, com a nova página, esses dados poderão ser usados de uma forma mais amigável.

O gerente de Redes Planialtimétricas da Diretoria de Geociências do IBGE, Guiderlan Mantovani, ressalta que, por gerarem dados com uma frequência maior, arquivos com intervalos de um segundo eram divididos em diferentes arquivos de 15 minutos, mas isso agora muda com a possibilidade de personalização: “A página concatena esses dados gerando um arquivo único para o usuário baixar no intervalo que ele quiser, sem precisar fazer nenhuma edição com um programa específico”, explica.

A customização dessas informações poderá ocorrer de acordo com o levantamento realizado, o formato preferencial do usuário (RINEX2 ou RINEX3), o intervalo de coleta (01, 05, 15 ou 30 segundos) e as constelações (GPS, GPS+GLONASS ou multiconstelação).

O formato RINEX2 possibilita o uso de três constelações (GPS, GLONASS e Galileo). Já o RINEX3 proporciona, além dessas três, da constelação Beidou. “O usuário consegue obter uma posição de precisão com um tempo menor, ou até mesmo em tempo real, dependendo do recurso de equipamento que ele tem para a realização do levantamento”, explica a gerente de Geodésia do IBGE, Sonia Costa, destacando a facilidade gerada pela página personalizada.

RBMC marcou nova era no posicionamento de precisão do país

Desde que foi implantada, em 1996, a RBMC dos Sistemas GNSS marcou uma nova era no posicionamento de precisão do país. Com ela o IBGE passou a adotar o conceito de estação geodésica ativa, que, além do papel de estação de referência com coordenadas no referencial oficial nacional, disponibiliza dados GNSS coletados. Desde então, o IBGE vem fazendo parcerias para ampliar a rede e acompanhando a evolução tecnológica e de serviço do GNSS, com equipamentos multiconstelação e aprimorando o posicionamento em tempo real.

Os dados e relatórios de todas as estações da RMBC são públicos e podem ser acessados diariamente pela página da RBMC dos Sistemas GNSS e no servidor repositório on-line do IBGE Informações sobre posicionamento geodésico. Nesses endereços, o interessado também pode achar registros da Rede Maregráfica Permanente para Geodésia (RMPG).

Fonte: Agência de Notícias IBGE

Veja também

Geo e Legislação

Imagem da Semana: você conhece a aurora austral?

Todo mundo conhece a aurora boreal, fenômeno provocado por ventos solares carregados eletricamente que entram em contato com o campo magnético do planeta provocando um show de luzes coloridas. Mas isso não é algo exclusivo do hemisfério Norte. O pólo Sul também promove esses espetáculos. Tirada nesta sexta-feira a bordo

Não perca as notícias de geoinformação