OCTA lança Observatório Regional com dados dos oito países amazônicos

Dashborad ORA: reprodução

Seguindo uma diretriz do Tratado de Cooperação Amazônica (TCA) firmado entre os oito países da região (Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela), a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) lançou na semana passada o Observatório Regional Amazônico (ORA). Trata-se de um centro de referência de informações e dados sobre a Amazônia gerados e disponibilizados pelos oito países-membros em temas como Biodiversidade, Espécies Listadas na Convenção CITES, Florestas, Recursos Hídricos e Povos Indígenas.

Por enquanto, estão disponíveis e completos os módulos Biodiversidade e CITES. Os dados dos módulos Recursos Hídricos e Florestas encontram-se em processo de validação e, em 2022, será iniciado o desenvolvimento do módulo Povos Indígenas.

Leia também:

O objetivo do ORA é facilitar o fluxo e o intercâmbio de informações entre instituições, autoridades governamentais, comunidade científica, academia e a sociedade civil dos países amazônicos. A plataforma apresenta dados por meio de relatórios, painéis dinâmicos e visores geográficos e estará em permanente evolução seguindo as necessidades dos países e as indicações da Agenda Estratégica Cooperação Amazônica (AECA).

Alexandra Moreira, secretária-gera da OCTA, diz que o Observatório Regional é um desejo dos países desde a concepção do Tratado de Cooperação Amazônica: “Em 1978, os Países Membros entenderam a urgência e a necessidade de uma gestão sustentável dos recursos naturais desta região e que a forma de trabalhar era por meio do monitoramento e o controle das espécies da flora e da fauna silvestres, o intercâmbio de informações, boas práticas, o estabelecimento de sistemas de gestão conjunta e cooperação nos diversos níveis governamentais, acadêmicos, científicos e da sociedade em geral”.

Fonte: OCTA

Post Author: Geocracia