Os primeiros mapas eleitorais da história

mapas eleitorais
Mapas eleitorais: o primeiro mapa por condados nos EUA, 1880 – imagem: Biblioteca do Congresso Americano

Edmilson Volpi*

Toda vez que uma disputa eleitoral é realizada, mapas e gráficos eleitorais aparecem como praga. Mas não foi sempre assim, segundo conta Gonzalo Prieto, do site Geografía Infinita.

Na verdade, foi só quando os jornais começaram a usar ilustrações, no século XIX, que esses mapas passaram a ser utilizados. Por isso, podemos dizer que a história dos mapas eleitorais tem mais de um século. E está intimamente ligada aos Estados Unidos.

Leia também:

O pioneiro mapa eleitoral nos EUA

O mapa a seguir mostra os resultados das eleições de 1836 e 1840. Como veremos mais adiante, as cores são o oposto do que identificamos hoje. Assim, o azul correspondia aos republicanos e o vermelho aos democratas.

Mapas eleitorais: eleições de 1836 e 1840 nos EUA – imagem: Biblioteca do Congresso Americano

Eleições e as cores da escravidão

O gráfico abaixo, datado de 1860, inclui textos e estatísticas do censo de 1850. Mas também dados sobre eleições presidenciais, resultados eleitorais e uma tabela mostrando o voto popular para os presidentes. Inclui ainda retratos de Abraham Lincoln, Hannibal Hamlin, Stephen Douglas, Herschel Johnson, John Breckenridge, Joseph Lane, John Bell e Edward Everett.

O código de cores corresponde às áreas onde a escravidão era permitida (verde), onde era proibida (vermelho) e onde as suas realidades coexistiam (amarelo).

Mapas eleitorais: eleição de 1860, EUA – imagem: Biblioteca do Congresso Americano

Um freio em Napoleão

Outro dos primeiros mapas eleitorais mundiais é nove anos mais novo. Em 1869, um mapa de Paris (abaixo) mostrava os resultados das eleições parlamentares daquele ano na capital francesa e que minaram o poder de Napoleão III.

Resultados do plebiscito de 1870 em Paris – imagem: Museu Carnavalet, Paris.

O mapa mais antigo dos condados

No topo da página está o mapa mais antigo conhecido na história das eleições presidenciais, dividido em condados. Pelo menos é isso que diz Susan Schulten, historiadora da cartografia da Universidade de Denver, e que escreveu extensivamente sobre ele. O mapa aparece em um atlas estatístico feito a partir de dados do Departamento de Censo dos Estados Unidos.

Em 1883, Henry Gannett publicou com esses dados o ‘Scribner´s Statistical Atlas’, que incluía mapas de cada eleição presidencial. A série terminava com este exemplo sem precedentes dos resultados das eleições de 1880 em nível de condado.

É possível que um mapa eleitoral tenha sido publicado em um jornal antes desta data, mas os gráficos feitos sob medida eram raros na época. O mapa de Gannett mostra os resultados das eleições presidenciais de 1880 no estado (em um pequeno mapa) e em nível de condado.

O mapa é acompanhado por gráficos de barras mostrando quais estados tiveram as maiores abstenções e as maiores diferenças entre um oponente e outro. Um exemplo de infografia.

As cores são familiares, mas significam exatamente o oposto de hoje: as áreas democratas aparecem em vermelho e as republicanas, em azul (as cores mudariam em 2000).

Veja outros mapas eleitorais no artigo original e a tradução no Curiosidades Cartográficas.

* Edmilson M. Volpi é engenheiro cartógrafo e editor da página Curiosidades Cartográficas no FacebookInstagram

Veja também

Produtor rural pode regularizar cadastro ambiental pela internet

Produtores rurais poderão aderir, de forma digital, a uma proposta de regularização ambiental e passar a ser monitorados a distância no cumprimento das exigências do Código Florestal Brasileiro. Isso será possível por meio do Módulo de Regularização Ambiental do Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar), lançado no fim do ano

Agro e Ambiental

Registros irregulares no CAR sobem 56% de 2018 a 2020

Segundo levantamento do Instituto Socioambiental (ISA), entre 2018 e 2020, o número de terras dentro de estações ecológicas, parques, reservas indígenas registradas no Cadastro Ambiental Rural (CAR) cresceu 56%. A situação reflete o crescimento da grilagem no país. Como o CAR é autodeclaratório e os órgãos estaduais responsáveis pela análise

Não perca as notícias de geoinformação