Portugal quer digitalizar oceano para desenvolver economia azul

Imagem: Free Photos – Pixabay

O governo português quer retomar a vocação do país para a indústria do mar, atividade que perdeu importância relativa após a entrada do país na União Europeia. Uma das iniciativas para dinamizar o setor é a digitalização e disponibilização de dados do fundo do mar e da coluna d’água no portal nacional de dados abertos da Administração Pública. Isso permitiria a que a sociedade acompanhasse o desenvolvimento dos projetos ligados à biotecnologia azul, à engenharia oceânica, à pesca, a novas formas de aquacultura, energias renováveis e a outros setores ligados aos recursos marinhos, que podem se converter em grandes oportunidades.

Leia mais aqui

Veja também

Agro e Ambiental

Opinião: A defesa da geoinformação na Amazônia. É o mapa, estúpido!

Luiz Ugeda* Membro do Porto Advogados, Doutor em Geografia pela Universidade de Brasília e doutorando em Direito na Universidade de Coimbra O mundo sempre foi representado de forma distorcida. Isso é natural pois, salvo se formos terraplanistas, representar algo esférico de forma plana sempre causa esse efeito. Como exemplo, a

Agro e Ambiental

Nova lei incentiva ações de recuperação e proteção de nascentes

O Governo Federal publicou a Lei 14.653, que prevê regras para intervenção e implantação de instalações necessárias à recuperação e proteção de nascentes. A medida altera duas legislações ambientais: o Código Florestal e a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais. A nova legislação inclui na lista de atividades eventuais ou de baixo

Não perca as notícias de geoinformação