Rússia estaria ‘atacando’ sinal de GPS na Ucrânia

sinal de gps
Sistema russo de guerra eletrônica está derrubando sinal de GPS – imagem: PIRO4D – Pixabay

De acordo com autoridades militares dos Estados Unidos ouvidas pela NBC News, a Rússia estaria interferindo com o sistema de satélites Navstar, usado pelos EUA e disponibilizado a vários países do mundo para o Global Positioning System. O objetivo seria bloquear o sinal de GPS usado na geolocalização, navegação e mapeamento do território da Ucrânia, invadido pelos russos há dois meses. Segundo David Thompson, vice-chefe de operações espaciais da Força Espacial americana, os russos não atacaram diretamente nenhum satélite em órbita, mas a hipótese não está descartada.

“A Ucrânia pode não estar conseguindo usar o GPS, pois há bloqueadores que os impedem de receber qualquer sinal utilizável”, disse o militar, acrescentando que isso revela que os russos “entendem o valor e a importância do GPS e tentam impedir que outros o usem”.

Leia também:

Os bloqueadores normalmente funcionam usando potentes antenas que emitem “ruído” de rádio interferindo em sinais específicos, embora sua eficácia possa ser prejudicada pelo terreno, explica ao site Space.com Kaitlyn Johnson, vice-diretora e membro do Projeto de Segurança Aeroespacial do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS): “Se você estiver em uma região super montanhosa, sua frequência de rádio não vai viajar tão longe, porque não pode atravessar [a rocha], mas, se estiver em um lugar amplo, seria realmente eficaz”.

Os equipamentos são instalados em caminhões do tamanho de ônibus e que já foram vistos em outras ocasiões. “Nós os vimos sendo usados ​​quando os EUA e aliados da OTAN fizeram exercícios militares no norte da Noruega”, disse Johnson, acrescentando que uma maneira de contornar o ‘ataque’ seria variar ou ampliar a frequência das transmissões para dificultar o trabalho do equipamento de bloqueio.

De acordo com recente relatório do CSIS sobre avaliação de ameaças, os caminhões, por anos desenvolvidos como equipamento militar pelos russos, são tão grandes que aparecem facilmente em algumas imagens de satélite. O relatório acrescenta que o bloqueio já acontecia muito antes do início da invasão da Ucrânia e os militares russos interferem frequentemente no sinal de GPS na Ucrânia desde 2014, quando tomaram a Crimeia.

Há cerca de um mês, os ucranianos capturaram um dos elementos desse sistema móvel de guerra eletrônica, um contêiner que também é transportando por caminhões e que seria usado para bloquear sinais de radar (abaixo). O equipamento foi enviado para a base da Força Aérea americana em Ramstein, na Alemanha, após ter sido abandonado intacto por tropas russas.

Interferências na conexão com a Internet

O sistema Navstar usa 24 satélites principais orbitando o planeta a cada 12 horas e enviando sinais sincronizados para a Terra. Os satélites se movem em direções diferentes, emitindo em momentos ligeiramente distintos. Com sinais de quatro satélites, os receptores GPS conseguem calcular a posição do usuário com uma precisão de poucos metros. Os russos têm o seu próprio sistema independente de posicionamento global, o GLONASS. Já europeus e chineses utilizam cada um o seu sistema, Galileu e Beidou, respectivamente.

Além de falhas no sinal de GPS, a Ucrânia também está com problemas de conexão com a Internet. Por conta disso, o ministro da Transformação Digital e vice-primeiro-ministro do país, Mykhailo Fedorov, pediu ajuda ao empresário Elon Musk, CEO da SpaceX, responsável pelo projeto Starlink. A empresa enviou, então 5 mil kits de Internet banda larga para a Ucrânia, em uma ação conjunta com a Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

No início de março, Musk percebeu que os sinais dos satélites Starlink também haviam sido bloqueados, e disse que a empresa estava se adaptando. “Alguns terminais Starlink perto de áreas de conflito estavam sendo bloqueados por várias horas”, escreveu Musk em sua conta no Twitter. “Nossa última atualização de software contorna a interferência”.

Fonte: Space.com

Veja também

Geo e Legislação

A estreia do Geografia do Voto

Lançamento da ferramenta da Agência Geocracia on-line mereceu matéria de página inteira no Estadão desta terça (28).

Não perca as notícias de geoinformação