São José dos Campos vai receber e validar imagens do 1º nanossatélite brasileiro

Imagem: concepção artística do VCUB – divulgação

A Prefeitura de São José dos Campos (SP) acaba de firmar parceria com a Visiona (joint venture entre a Embraer e a Telebras), responsável pelo primeiro nanossatélite totalmente desenvolvido pela indústria brasileira, o VCUB. Montado numa plataforma CubeSat 6U de 12kg com dimensões de 30 x 20 x 10 cm, o equipamento traduz o estado da arte em tecnologias de pequenos satélites e será lançado em 2022.

Pelo acordo, a cidade vai receber do equipamento imagens em alta resolução para realizar mapeamentos de uso e ocupação do solo e, com isso, poder prevenir irregularidades ambientais, por exemplo. Em contrapartida, técnicos da Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade de São José validarão as imagens sem qualquer custo financeiro, durante a vigência do contrato.

Leia também:

A Prefeitura de São José junta-se, assim, à rede de parceiros do Projeto VCUB, que já conta, entre outras, com entidades como Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), AEB (Agência Espacial Brasileira) e Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

Estratégico para a indústria espacial brasileira, o VCUB permitirá o desenvolvimento e validação de tecnologias espaciais desenvolvidas no país, com destaque para o Sistema de Controle de Órbita e Atitude de satélites, principal lacuna tecnológica do setor nacional, além dos softwares de Sistema de Gestão de Dados de Bordo e do Rádio Definido por Software. O projeto trabalha com uma arquitetura de sistemas modular e escalável, podendo ser utilizada em satélites de maior porte no futuro, o que permitirá a incorporação de mais tecnologias nacionais às missões do Programa Espacial Brasileiro.

Dotado de uma câmera óptica multiespectral com resolução de 3,5 metros e 4 bandas espectrais, além de um sistema de coleta de dados reconfigurável via software, o VCUB possui tecnologias ópticas só encontradas em satélites de grandes dimensões e será capaz de realizar missões antes designadas apenas a satélites de grande porte. Isso vai possibilitar a geração de imagens com qualidades radiométrica e geométrica superiores às encontradas no mercado, fundamental para aplicações agrícolas e de proteção do meio ambiente. Seu sistema de coleta de dados pode operar tanto no sistema SBCD (Sistema Brasileiro de Coleta de Dados) como em outros protocolos, o que habilita o VCUB para aplicações de Internet das Coisas (IoT).

Fonte: Prefeitura de São José dos Campos

Veja também

Agro e Ambiental

Incra finaliza cadastro de todas as terras indígenas regularizadas no SNCR

As informações cadastrais de todas as Terras Indígenas (TIs) regularizadas no país foram atualizadas pelo Incra no Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR). São 446 áreas, representando mais de 100 milhões de hectares. Outras 11 TIs homologadas (em processo final de regularização) também foram cadastradas. É a primeira vez na

Não perca as notícias de geoinformação