Startup propõe o “CEP” das lavouras brasileiras

Uma nova startup pretende, agora que chegou ao Brasil, viabilizar o compartilhamento de dados coletados em campo para acelerar a transição para um sistema alimentar positivo para a natureza. Por meio da ferramenta “Global Field ID”, a empresa vai mapear todo o território agrícola mundial e estabelecer uma identificação única para cada talhão, como um CEP.

A startup de tecnologia agrícola Varda foi fundada pela Yara International e pretende promover a integração e o compartilhamento de informações entre diferentes plataformas digitais e atores da cadeia. Para Deise Dallanora, líder da iniciativa para o Brasil e América Latina, o “Global Field ID” traz elementos fundamentais para impulsionar práticas de descarbonização da agricultura, que é a colaboração e consequente redução da fragmentação dos dados ao longo da cadeia.

Gostou desta notícia? Clique aqui e receba na hora pelo WhatsApp

Leia mais:

Código de Endereço Geodigital: por um plano nacional de localização

Thierry Jean: “Cartografia colaborativa é mais barata, mais precisa e mais flexível”

Censo 2022 vai captar coordenadas de todos os domicílios

“Temos hoje o desafio global de promover a redução de emissões de gases de efeito estufa, ao mesmo tempo em que precisamos produzir mais alimentos. Diante deste cenário desafiador, Varda chega para impulsionar soluções colaborativas, possibilitando a união dos elos da cadeia de produção”, afirma. “Nosso objetivo é reunir empresas, agricultores e outras instituições públicas e privadas do setor que compartilhem da aspiração por um ecossistema alimentar sustentável e resiliente. Tudo isso contribuirá para trazer transparência aos processos de uma agricultura cada vez mais próspera, em todos os sentidos”, adiciona.

Segundo a empresa, a tecnologia permite uma melhor rastreabilidade do produto final, o acompanhamento histórico de práticas agrícolas nas propriedades rurais, o monitoramento de atividades de desmatamento e, inclusive, a colaboração direta com o mercado de créditos de carbono, beneficiando o produtor que utilizar práticas de agricultura regenerativa, evitando, por exemplo, a duplicidade na emissão de créditos.

Fonte: Agrolink

Veja também

Geo e Legislação

INE angolano atualiza cartografia do país para censo de 2024

Numa nota de encerramento da atividade de recolha de dados do censo piloto, que decorreu de 19 de julho a 05 de setembro deste ano, o INE refere que, nas províncias de Luanda, Bengo, Bié, Lunda Norte, Cuando Cubango, Uíge e Cunene, foram recolhidos “dados de casos especiais seguido da

Não perca as notícias de geoinformação