TCE-PR fiscalizou via satélite obras do aeroporto de Maringá

Obra no Aeroporto de Maringá obtida por satélite do INPE – imagem: INPE/divulgação

As obras de ampliação do Aeroporto Silvio Name Júnior, em Maringá (PR), entregues na semana passada, foram fiscalizadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) por meio de imagens de satélite. A experiência, uma parceria inédita com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), serviu como um teste-piloto que o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, quer estender aos demais tribunais de contas.

Leia também:

Financiadas com recursos federais, as obras duraram dois anos, custaram mais de R$ 80 milhões e ampliaram a pista de pouso de 2.100 m para 2.380 m, a maior atualmente no Estado. Além disso, foram feitas melhorias nos pátios de aeronaves e nos sistemas de balizamento e iluminação da pista.

Tudo foi monitorado pelos satélites CBRES-4 e CBRES-4A, do Inpe. Um grupo de técnicos do TCE-PR está sendo capacitado para interpretar e analisar as imagens captadas pelos satélites, já que, além do aeroporto, o teste-piloto também está acompanhando as obras de um hospital em Francisco Beltrão (Sudoeste do PR) e de pavimentação da Estrada do Socavão, no município de Castro (Campos Gerais).

Fabio Camargo, presidente do TCE-PR, diz que a viabilidade técnica do projeto já foi confirmada e resolverá dificuldades trazidas pela pandemia, que vem impedindo a fiscalização in loco por questões de segurança sanitária: “Com o apoio do ministro Pontes e do Inpe, em breve, poderemos fiscalizar obras à distância e em tempo real”.

Fonte: TCE-PR

Veja também

Geo e Legislação

Edmilson Volpi: Mapas antigos são espelhos para a psique

O ato de fazer um mapa é uma tentativa de se recriar o espelho mágico do califa Mu‘āwiya, que poupou a vida de um inimigo em troca de um fragmento quebrado que acreditava ser parte de um espelho mágico que Deus deu a Adão: uma janela transparente, uma visão não

Geo e Legislação

Auditoria do TCU aponta falhas na estratégia brasileira de governo digital

A Estratégia de Governo Digital (EGD) 2020-2022, principal normativo de transformação digital e desburocratização do governo brasileiro, apresenta falhas que podem significar uma ameaça aos usuários, segundo auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU). Entre os problemas apontados na reportagem do canal TILT, no UOL, está a migração do

Não perca as notícias de geoinformação