TCE-RS treina para fiscalizar obras com imagens de satélite

imagens de satélite
Auditores poderão fiscalizar obras remotamente – imagem: Paul Brennan (Pixabay)

Os auditores do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul (TCE-RS) concluem nesta sexta-feira (16) um treinamento de 40 horas para obtenção e tratamento de imagens de satélite para fiscalização de obras públicas. Ministrado pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), o curso capacitará os técnicos do órgão a obter imagens para identificar os tipos de intervenção em obras públicas, localização exata e período de realização das suas diferentes etapas.

“Esse tipo de treinamento serve para que o TCE-RS utilize parâmetros das imagens de satélite”, explica o pesquisador da Divisão de Observação da Terra e Geoinformática do INPE, Laércio Massaru Namikawa. Segundo ele, o curso dará mais eficiência aos serviços de auditoria do Tribunal de Contas: “Será possível verificar o andamento de diferentes obras a partir do computador do próprio auditor, sem a necessidade de ele ir ao local para verificar o andamento da obra”.

Leia também:

Para coordenador do Centro Especializado para Auditoria de Obras Públicas do TCE–RS, Cezar Motta, a captação de imagem de satélite enriquece o trabalho de auditoria do tribunal. “Isso é muito importante nas rodovias, onde será possível acompanhar o andamento da obra periodicamente, através de fotos de satélite”, diz, explicando que o acompanhamento do que acontece na obra permite verificar onde são feitos os trabalhos e que tipo de serviço está sendo executado, possibilitando identificar eventuais irregularidades. “Em linhas gerais, será possível acompanhar a obra sem estar presente, além de mostrar o que aconteceu no passado através do comparativo de imagens”, acrescenta.

Fonte: TCE/RS

Veja também

Geo e Legislação

Geotecnologia pode ajudar a combater crise hídrica

Vivendo sua pior crise hídrica nos últimos 91 anos, o Brasil está sob ameaça de enfrentar racionamentos de água, energia e até de passar por apagões, com vários dos seus reservatórios operando perto do nível mínimo para geração de energia. A pior situação é no Sudeste e Centro-Oeste do país,

Não perca as notícias de geoinformação